sábado, 31 de maio de 2014

Dia Mundial sem tabaco.

Há uns anos atrás, há mais de 9, não me imaginava a dar o mais pequeno contributo para esta campanha. Porquê? Porque era fumadora e arranjava, tal como todos os fumadores, todas as desculpas do mundo para continuar a fumar. Estava em baixo=precisar de um cigarro para amenizar a minha tristeza; estava feliz=precisar de um cigarro para aumentar a sua intensidade; a comida estava boa=precisar de um cigarro para completar o menu (satisfação); a comida não estava boa=precisar de um cigarro para remediar a coisa; e o cigarro no fim do café, era impossível viver sem esse.
No fundo de mim havia a certeza que fumar era algo que não devia fazer; que era algo que eu um dia fosse porque motivo fosse deixaria de fazer. E assim foi há 9 anos atrás. O motivo foi mesmo a minha consciência. A  minha filha mais velha, na altura com 5 anos, começou a questionar-me porque é que eu fumava, eu como não tinha uma resposta que justificasse de forma assertiva esta minha atitude respondi-lhe que era porque eu era uma tonta e que por isso mesmo ia deixar de fazê-lo. E assim foi. Se me custou, custou-me uma imensidão.Há fumadores que ganham mais dependência da nicotina do que outros e eu , sem saber, era super dependente, daí o ter sofrido tanto. Na verdade também quis fazer tudo sózinha, sem apoio de qualquer espécie (medicamentosa, tipo nikitin, ou outra). Foi uma fase dolorosa para mim, que não tem de ser para todos igual, basta a vontade e ter uma ajudar paralela.
Ao longo destes 9 anos, nunca me arrependi de o ter feito. Não me arrependi porque foi o melhor para mim, para a minha saúde e para a minha carteira e porque só podemos querer atitudes dos nossos filhos se lhes soubermos dar o exemplo.

 
 
Beijos e abraços


sexta-feira, 30 de maio de 2014

Na vida...


90% da nossas alegrias e tristezas dependem apenas  da nossa atitude perante ela!
O otimismo é o caminho da felicidade!



Nos dias cinzentos, agarra o arco iris, deixa as suas cores invadirem teu coração e não permitas que o pessimismo saia vencedor!

Um fim-de-semana muito feliz para todos

Beijos e abraços

quinta-feira, 29 de maio de 2014

A reutilização é algo que faz parte da minha vida

Desta vez e seguindo a minha atual tendência, com uma caixa plástica decidi fazer um tabuleiro para os produtos com mais uso na casa de banho.


Foi só cortar o rebordo, furar com furador de papel e passar uma fita por todos os buraquinhos e finalizar com um lacinho


Beijos e abraços

quarta-feira, 28 de maio de 2014

O branco continua a entrar aos poucos cá em casa...

e desta vez foi esta jarra pintada de acrilico branco e banho de cola branca. Esta jarra já foi caneca de água, antes de se partir a pega em plástico. Depois foi porta velas de Natal. E agora é uma jarra falsa uma vez que suporta apenas o loureiro seco que trouxe de casa dos meus pais. Uma boa forma de enfeitar aromatizar a cozinha de forma natural.

 Beijos e abraços

terça-feira, 27 de maio de 2014

As coisas simples são as que nos fazem mais felizes. Garrafa transparente na decoração natural!

Nestes meus períodos de introspeção cada vez me dou mais conta de como são importantes para mim as coisas simples da vida. Pedacinhos da natureza debaixo do telhado são para mim de extrema importância. Com os sentidos para aí direccionados, foi assim que surgiu na decoração esta garrafa de vidro transparente, enfeitada com búzios, conchas, sal e fio do norte. Pedacinhos da natureza que tanta importância têm para o meu bem estar emocional.



Beijos e abraços

segunda-feira, 26 de maio de 2014

Momentos...

De reflexão, de introspeção são momentos que imperam neste momento da minha vida. É este o motivo que me traz um pouco ausente. Preciso de me focar no meu interior, preciso de encontrar um ponto de equilibrio que me faça mais feliz (estava no auge da minha irritabilidade) e a todos os que me rodeiam.
Aproveitando que cá estou hoje para partilhar convosco a felicidade que senti por poder celebrar, junto com a minha querida família, os 50 anos de vida em comum dos meus pais (24 de Maio de 2014).




Momentos únicos, momentos que guardarei para sempre no meu coração.

Momentos únicos também a troca de afetos entre irmãos/ãs e cunhados/as e toda a cumplicidade, que a cada dia se torna maior, entre primos. A tristeza das crianças na hora de separação, que nos faz nascer sorrisos de felicidade!

Um bem haja a todos os amigos virtuais, por também vocês contribuirem para a minha felicidade!

Beijos e abraços


sexta-feira, 16 de maio de 2014

Mais um garrafão que se tornou num jarrão

Como já não é novidade para ninguém a reutilização de objectos, criando outros, é algo que realmente me dá muito prazer. O meu perfecionismo ainda está áquem do esperado mas com a experiência, muitas asneiras pelo meio,  lá chegarei.
Já manifestei anteriormente o quanto me identifico, cada vez mais, com a decoração natural, com os brancos e com as cores mais apaziguadoras.
Hoje venho partilhar convosco a minha mais recente transformação: garrafão = jarrão, que se enquadra de alguma forma no que disse anteriormente. Gostei do resultado e o cantinho onde o colocarei ficará com outro ar, quanto a isso não tenho dúvidas.






Bom fim-de-semana


Beijos e abraços

quinta-feira, 15 de maio de 2014

Pequenas coisas que...


cada vez fazem mais sentido para mim. A simplicidade e a tranquilidade que transmitem, são neste momento da minha vida muito importantes para mim. Preciso mesmo de sentir a minha vida a branco, com toda a serenidade que lhe está inerente, aliado à natureza dentro de casa.





Aos poucos, dentro do ritmo que me possível, o ambiente irá ser mudado, de forma a sentir-me mais eu, quer através de transformações de algumas coisas, quer criando pelas minhas mãos. Não tenho grande talento, é esta a minha verdade, mas com o treino aperfeiçoar-me-ei. O dinheiro chega à rasca para o necessário, por isso nem me ocorre partir para aquisições, mas quando a vontade é muita, aos pouco tudo se ajeita!

Gente querida
aqui vão beijos e abraços para todos

quarta-feira, 14 de maio de 2014

Vale a pena repensar nossos hábitos.

Já há algum tempo que me tinha deparado com este texto e, quando o li, voltei ao meu tempo de criança, em que as coisas eram exatamente como são descritas, e nem por isso eramos menos felizes, e sim eramos todos mais sáudáveis.
Hoje deparei-me de novo com ele e decidi partilhá-lo. O texto foi tirado  daqui e vale a pena lê-lo.
" Na fila do supermercado, o caixa diz uma senhora idosa: - A senhora deveria trazer suas próprias sacolas para as compras, uma vez que sacos de plástico não são amigáveis ao meio ambiente.
A senhora pediu desculpas e disse: - Não havia essa onda verde no meu tempo.
O empregado respondeu: - Esse é exatamente o nosso problema hoje, minha senhora. Sua geração não se preocupou o suficiente com nosso meio ambiente.
- Você está certo - responde a velha senhora - nossa geração não se preocupou adequadamente com o meio ambiente. Naquela época, as garrafas de leite, garrafas de refrigerante e cerveja eram devolvidos à loja. A loja mandava de volta para a fábrica, onde eram lavadas e esterilizadas antes de cada reuso, e eles, os fabricantes de bebidas, usavam as garrafas, umas tantas outras vezes.
Realmente não nos preocupamos com o meio ambiente no nosso tempo. Subíamos as escadas, porque não havia escadas rolantes nas lojas e nos escritórios. Caminhamos até o comércio, ao invés de usar o nosso carro de 300 cavalos de potência a cada vez que precisamos ir a dois quarteirões
Mas você está certo. Nós não nos preocupávamos com o meio ambiente. Até então, as fraldas de bebês eram lavadas, porque não havia fraldas descartáveis.
Roupas secas: a secagem era feita por nós mesmos, não nestas máquinas bamboleantes de 220 volts. A energia solar e eólica é que realmente secavam nossas roupas. Os meninos pequenos usavam as roupas que tinham sido de seus irmãos mais velhos, e não roupas sempre novas.
Mas é verdade: não havia preocupação com o meio ambiente, naqueles dias. Naquela época só tínhamos somente uma TV ou rádio em casa, e não uma TV em cada quarto. E a TV tinha uma tela do tamanho de um lenço, não um telão do tamanho de um estádio; que depois será descartado como?
Na cozinha, tínhamos que bater tudo com as mãos porque não havia máquinas elétricas, que fazem tudo por nós.
Quando embalávamos algo um pouco frágil para o correio, usamos jornal amassado para protegê-lo, não plástico bolha que dura cinco séculos para começar a degradar.
Naqueles tempos não se usava um motor a gasolina apenas para cortar a relva, era utilizado um cortador de relva que exigia músculos. O exercício era extraordinário, e não precisava ir a uma academia e usar esteiras que também funcionam a eletricidade.
Mas você tem razão: não havia naquela época preocupação com o meio ambiente. Bebíamos diretamente da fonte, quando estávamos com sede, em vez de usar copos plásticos e garrafas pet que agora lotam os oceanos.
Canetas: recarregávamos com tinta umas tantas vezes ao invés de comprar uma outra.
Abandonamos as navalhas, ao invés de jogar fora todos os aparelhos 'descartáveis' e poluentes só porque a lámina ficou sem corte.
Na verdade, tivemos uma onda verde naquela época. Naqueles dias, as pessoas tomavam o bonde ou ônibus e os meninos iam em suas bicicletas ou a pé para a escola, ao invés de usar a mãe como um serviço de táxi 24 horas.
Tínhamos só uma tomada em cada quarto, e não um quadro de tomadas em cada parede para alimentar uma dúzia de aparelhos. E nós não precisávamos de um GPS para receber sinais de satélites a milhas de distância no espaço, só para encontrar a pizzaria mais próxima.
Então, não é risível que a atual geração fale tanto em meio ambiente, mas não quer abrir mão de nada e não pensa em viver um pouco como na minha época"

Beijos e abraços

terça-feira, 13 de maio de 2014

A nova tendência por cá


é chegar a casa da pré e trocar de calçado por outro mais "confortável", e ser mãe, professora, médica, o que apetecer no momento, e circular pela casa em grandes discursos com as suas "crianças" um pouco travessas. 


Mundo bom o mundo do imaginário!

(pouco falta para o calçado da mãe lhe assentar)

Beijos e abraços 

segunda-feira, 12 de maio de 2014

Estava eu aqui a pensar, de mim para comigo...


que nesta coisa de querermos emagrecer, ou não querermos engordar, tudo se tornará mais simples, e sem ideia de sacrifício, se colocarmos a questão deste modo:
- nós gostamos muito de comer uma lista imensa de coisas maravilhosas, carregadinhas de calorias e ingredientes pouco saudáveis.
- por outro lados nós adoramos  comer uma lista infinita de alimentos maravilhosos que são super saudáveis e que são excelentes aliados no processo de não engordamento e de emagrecimento.
Perante estas duas certezas só é  necessário optarmos mais vezes pela segunda, não ficando nunca insatisfeitas!
Há algo mais simples do que isto?

Beijos e abraços

sexta-feira, 9 de maio de 2014

Depois de 9 meses...

tal como tem acontecido ao longo destes quase 16 anos de vida em comum, o pai cá de casa está em pausa do basquetebol até Setembro. Na realidade ele já não é nenhum jovensinho é, isso sim, o jogador mais velho de sempre a fazer parte da liga portuguesa de basquetebol. Só pelos já quase 29 anos de serviço deveria ter direito a uma recompensa mais visível, era o que era, ou a uma reforma, uma vez que a idade que prevê, nos últimos anos, para terminar com a competição está quase aí (45 anos). Adiante. Estas pausas são sempre muito esperadas por mim, especialmente desde que a minha mais nova nasceu, uma vez que os treinos com saídas às 18:45 de casa e com regresso pelas 22:45h, 4 vezes por semana, e depois de um dia de trabalho (o basquete não é a sua profissão), já não contabilizando os fins de semana de ausência, e por tudo isto, quase nunca poder contar com ele como apoio na vida doméstica e familiar. Por esta altura já eu estou com a paciência a zero, o cansaço psicológico que a criança e adolescente me acabam por causar ao longo do tempo (porque quem quer bem educar acaba sempre por se cansar), aliado à organização da casa, da vida, mais o emprego já dá mostras bem acentuadas dos seus efeitos negativos. Durante estes 9 meses eu quase me esqueço de cuidar de mim. Agora é hora de me mimar um pouco e de dividir a pasta dos encargos.
Eu preciso urgente de perder uns quilos que se me alojaram aqui na parte superior e inferior do abdomen e na cintura, para além de toda esta flacidez que me ataca os músculos do corpo todo (a idade não ajuda nada mesmo, quem passou dos quarenta sabe bem do que falo). Eu nunca consegui fazer uma alimentação certinha, se em simultâneo não fizesse nenhum tipo de exercício físico, daí estes quilinhos a mais.  Agora que o marido está em pausa é ver-me a exercitar entre corridas e caminhadas, é fazer pesos para tentar tonificar estes flácidos músculos (o do adeus está mesmo ruim), é ver-me comer só comidinhas saudáveis e é ver-me pedir ao S.Pedro que mantenha o tempinho assim com sol, para que a desmotivação e a vontade de ingerir porcarias não me ataque!

Por cá tem-se comido (eu, o marido também alinha ao jantar )

coisas dentro deste género

 Para enganar a fome entre refeições comem-se coisas assim

e assim


Por vezes também são pequeno almoço, barradas com compota caseira ou queijo fresco magro.
Bebe-se mais água do que sempre, e muito chá.

Vamos lá ver se é desta que consigo mudar alguns (muitos) maus hábitos e perder o que tenho ganho em termos de pneus!

Beijos e abraços e
tenham um excelente fim-de-semana

quinta-feira, 8 de maio de 2014

A bolsa da Hanna Montana...

deixou de existir. Porque passou a moda, e a febre da filha mais velha pela famosa da Disney channel, e a bolsa estava para ali abandonada, completamente nova, decidi transformá-la para lhe dar uso. É pequena e por isso muito jeitosa para passeios descontraídos do fim de semana, quando carrego menos "tralha". 


A bolsa não era esta, era parecida, mas como me esqueci de fotografá-la antes, tirei esta imagem da net para terem uma ideia do "antes"

Com tinta acrílica preta ficou assim.

Depois para ficar com um pouco mais de graça (digo eu), ou não, com cola branca, uns punhados de botões e fio branco, ficou assim




Pronto ganhei uma bolsa nova!


Beijos e abraços

quarta-feira, 7 de maio de 2014

Branco

Esta fruteira vive cá em casa desde que casei, 15 anos. A cor começou a desbotar de tanta lavagem e eu já não estava a achar piada vê-la ali, sempre no mesmo sítio, com todas aquelas manchas. 


Daí que no sábado, ainda a casa dormia, antes da minha caminhada, peguei num pincel e tinta acrilica branca e toca a dar-lhe uma nova cara, mais clean. Dei três demãos e finalizei com verniz incolor para tinta acrílica.


Ficou mais limpinha, e eu, com um novo objeto a clarear o ambiente doméstico.


Beijinhos e abraços 

terça-feira, 6 de maio de 2014

Para que as velas durem mais tempo...




nada mais simples que mantê-las no congelador até as usar-mos.

beijos e abraços

Empadas de frango.

Apesar de gostar de cozinhar, não me considero uma excelente cozinheira. Mesmo assim não me privo de,  de vez em quando, de me aventurar em algumas experiências novas. Foi o caso destas empadinhas de frango feitas sem receita, a olhómetro mesmo, e que acabaram por ser um sucesso cá em casa. Como sobravam algumas plaquinhas de massa acabei por recheá-las de salsicha picada, sendo esta uma das coisas que a minha mais velha mais aprecia.

Eu fiz assim

estufei 4 pedaços da parte superior de coxas de frango com tempero a gosto. Depois defiei-as e voltei a colocá-las no molho, que não poderá ser grande quantidade, juntei um pouco de farinha e natas magras e levei de novo ao lume a engrossar.
Untei e enfarinhei algumas forminhas de queques e reservei. Enfarinhei um pouco a bancada da cozinha, fui colacando sobre ela as placas, uma a uma, recheando-as com o frango e fechando-as com as mãos humedecidas para colarem bem. Coloquei-as nas forminhas, pincelei-as com leite e levei-as ao formo pré aquecido a 180 graus até ficarem douradinhas.


Como tinha o forno quente aproveitei e fiz uma nova receita de crumble de aveia, só que desta vez coloquei farinha de centeio integral, maçã, pera e duas bananas que estavam demasiado maduras. Em vez de leite magro, reguei bem com sumo de laranja. Ficou divinal. O meu marido ficou fã da primeia vez e esta ficou a ser  uma das sobremesas eleitas por ele, por isso, sempre que surge oportunidade, lá estou eu a inventar um novo crumble.
Nota: se por algum motivo a parte superior não estiver a ficar crocante, basta pressionar um pouco com uma espátula, de modo a ficar um pouco mais humedecida com o liquido se encontra por baixo e levar de novo ao forno.

Beijos e abraços

domingo, 4 de maio de 2014

A minha mãe

A minha mãe é um exemplo de força, de coragem, de luta. É a melhor governanta que eu conheci até hoje. É uma grande apaziguadora de conflitos, sempre meteu água na fervura para evitar o conflito, quer entre filhos, genros, noras, netos quer nas suas amizades.
Ter-nos todos juntos em sua casa é sempre um momento de grande alegria para ela (e somos imensos) e nunca na vida a vi receber-nos com pouca vontade. Os netos são todos tratados do mesmo modo: não demonstra preferências. Quando oferece algo, oferece a todos no mesmo valor, peso e medida de forma a não ferir possíveis susceptibilidades.
A minha mãe é uma mulher sensível, justa, forte. A minha mãe é a minha heroína!
A minha mãe não percebe nada de computadores, muito menos de internet, por isso nunca lerá isto, de qualquer modo hoje apetece-me mesmo homenageá-la publicamente porque ela é um grande de exemplo de uma super MÃE.


Um dia muito feliz para todas mães!

Beijos e abraços

sexta-feira, 2 de maio de 2014

Aos poucos o branco vai surgindo cá em casa.

Hoje venho confessar a minha saturação por tanto colorido que existe na decoração da  minha casa. Ando com  uma enorme vontade de mudar para um ambiente onde imperem as cores mais claras: o branco, os crus,  não colocando de parte alguns apontamentos coloridos.
 Hoje partilho  a 1ªs mudanças na casa de banho.
Há uns bons pares de anos pintei esta tela


que coloquei na parede vazia por trás da sanita. Lá morou até este inverno tendo ficando, penso eu à custa do excesso de humidade com que o S. Pedro nos castigou, toda manchada. Para além do meu aborrecimento quanto ao execesso de cor, tinha mesmo de ser mudada pelo estado em que ficou (não deitei fora e farei qualquer coisa nova com ela).
Neste contexto, com um pau que trouxe da rua, resultante da poda das árvores, pintado de branco, fio do norte (sizal para o povo brasileiro que me lê), umas conchinhas e uns búzios fiz este enfeite que ao mesmo tempo é suporte para velas aromáticas.




Latinhas atum recicladas, seguram as velinhas de canela.!
Beijos e abraços

Do feriado ficou...

- Logo pela manhã, uma caminhada de 8 km junto ao mar, na companhia da minha mais velha. Uma manhã de sol radioso, um mar muito tranquilo;
- Uma produção de mais 10 litros de detergente caseiro para a máquina da roupa;
- Um almoço de arroz de feijão, com couves e tomate e um linguado bem tostadinho na frigideira. O linguado estava delicioso, mas o arroz estava viciante;


imagem retirada da net


- Uma ida às compras em família (para a adolescente cá de casa investir o dinheiro que os padrinhos lhe ofereceram na Páscoa);
- Uma ida ao jumbo e o meu fascinio por todos os produtos à venda em avulso, desde as ervas aromática, aos chás, cereais, frutos secos, massas e leguminosas, especiarias, etc. Fiquei deslumbrada!


imagem retirada da net

Ontem foi um bom dia!

Beijos e abraços