Ai o raio dos corsários que me esganam as coxas.

Eu, ao longo da minha vida de adulta tenho oscilado de peso com algumas pausas longas. Excetuando as oscilações causadas pelas duas gravidezes, aos 30 e aos 38 anos, tive um aumento elevado (5 quilos) quando deixei de fumar aos 35 anos. As outras andaram sempre entre os dois ou três quilos. Tirando o peso que ganhei depois de deixar de fumar e que me foi extremamente penoso perder, todos os outros quilos nunca me foram muito dificéis de largar. Nunca foram até há uns dois anos. A partir dos quarenta a coisa começou a ser mais díficil. Aos 41 tive de deixar o fitness, o pilates, as caminhadas começaram a ser cada vez menos frequentes, por motivos de ordem pessoal. O metabolismo começou a ficar cada vez mais lento a queimar calorias e a flacidez começou a ganhar terreno.
Há dias (3 semanas +-) quando fui vestir os corsários estilo safari, que há dois anos me caíam na barriga e ficavam larguinhos, senti as coxas a ficarem "esganadas". Foi a gota de água. Senti que estava na hora de tomar medidas urgentes antes de descambar por completo. Senti-me péssima e triste e tudo porque não me sinto feliz  sentindo-me gorducha.
Um dos meus problemas é resistir ao pão. Ai como gosto de pão, de qualquer um, a verdade seja dita.Como qualquer um me satisfaz decidi adotar o mai saudável e torná-lo num aliado em vez de um inimigo, e assim tentar atingir os meus objetivos sem remorsos. Por essa razão, os meus almoços são frequentemente deste género






alterando os ingredientes, mas mantendo sempre 3 a 4 legumes.
Como adoro saladas de toda a espécie, estas são sempre o prato principal das minhas refeições, e agora com mais prazer ainda visto que  produzimos algumas em casa,


ou mesmo o único prato, quando levam hidratos de carbono.



Para além de rever a forma como me estava a alimentar, comecei também a ir almoçar a casa, a pé, são 15 minutos para cada lado à velocidade " estou com pressa para apanhar o metro", não podendo mesmo ser de outro modo, porque só tenho 60 minutos para almoçar.

Para além disso estou a tentar fazer todos os dias, em casa, um pouco de



ou de


 e também localizada com os halteres



 e com as bandas elásticas.




Espero conseguir implementar esta rotina e daqui a algum tempo começar a ver resultados.




Até o próximo post
 




Comentários

  1. Ai como eu te entendo! Eu que tinha feito um esforço enorme por perder uns 3 quilinhos que andavam a chatear desde o Natal, consegui recuperar tudo em apenas 3 semaninhas!:( e como deves imaginar não me sinto nada bem...acho que vou ter que atacar em força..., mas so para a semana quando chegar á Madeira!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Realmente mana, antes não te vale a pena pensar nisso. Temos que ser nós a sermos responsáveis pelas nossas refeições. No teu caso como andas acima e abaixo não dá (quase) para evitar.

      Jinhos

      Eliminar
  2. Também estou nessa luta, por isso muita força e nada de desistir aos pouquinhos chegamos lá :)
    se bem vinda ao meu cantinho e obrigada pelo teu carinho.
    Vives na minha cidade favorita se eu pudesse mudava-me para aí, adoro Povoa de Varzim, vivo perto, na Trofa.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Não desistir e ser persistente são as palavras de ordem.
    Mto obrigada também pela tua visita e volta sempre pois serás sempre bem vinda.
    Vivo na Póvoa há 24 anos e sou feliz aqui. Viver à beira mar é sem dúvida totalmente diferente de viver no interior.
    Há que ter esperança, quiça um dia essa tua vontade se torne numa efetiva realidade.
    Beijinhos e tudo de bom para ti

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Como cozinhar couscous.

Receita de detergente caseiro para a máquina da roupa.

Tira borboto - económico e eficiente.