E com tanto pacote de austeridade, um dia ainda ...

ficamos sem ordenado para pagar a dívida para a qual nunca nos consultaram. Sim por este andar e com o aumento do horário laboral, com aumento de taxas e mais taxas sobre o ordenado bruto, que de facto já não é para nenhum de nós o que continua a ser  para eles como referência, e não havendo quem ponha travão nisto, porque o nosso Presidente não está mínimamente interessado no assunto, havemos de vir para casa sem ordenado e continuarão a dizer que o nosso ordenado bruto é X.
Há quem viva com a ideia que o funcionário ganha balurdios e por isso tem ser ele a pagar a dívida. Há de facto quem ganhe, no caso dos funcionários do estado, mas esses são regidos por uma lei privada e  não convém que seja do domínio público, mas há funcionários que ganham, com 24 anos de serviço, desde 487 euros a 750 euros, dependendo da carreira.
Hoje estou assim no modo em que me sinto mais do que nunca explorada (chulada). Eu sou funcionária pública porque o estado me contratou porque precisava dos meus serviços, não me impingi a ninguém. Que culpa tenho eu da dívida pública para ter que continuar a pagá-la como se fosse minha ou causada por mim?

Desculpem minha gente, mas hoje a minha inspiração só dá para este post.

Abreijos para todos

Comentários

  1. Olá Lassalete,
    Tambem sou funcionaria publica há 24 não ganho 1000€ e estou indignadissima com tudo isto. Ainda mais indignada fico quando ouço pessoas a dizer que podia ser pior!? Por favor são sempre os mesmos a pagar e sempre os mesmos a roubar!? Para junta a tudo isto o meu marido está desempregado. Hoje disse aos meus colegas que este orçamento vai ao TC não passa o Coelho diz que assim não dá e vem o 2º resgate, mas não por culpa da governação deles mas sim do TC, então ai vamos mesmo passar fome.
    Desculpe o desabafo.
    Bjs
    Dulce Barbosa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem razão Dulce, eles não fazem senão tirar a quem menos ganha e quando lhes é bloqueada essa possibilidade rápidamente sacodem a água do capote.
      Eu também estou indignadissima e revoltadissima. Não sei aonde vamos parar e sinto-me muito preocupada com o futuro!

      Beijinhos

      Eliminar
  2. Realmente querida mana isto é revoltante! Uma pessoa até é organizada e poupa onde pode, mas qualquer dia não temos mais onde poupar...Com este novo corte vou voltar a receber o mesmo de quando comecei a trabalhar, há 10 anos atrás! Andamos de cavalo para burro...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é mana, eu também! só que agora tenho duas filhas para criar e para além disso em todas as contas que fazem baseiam-se num ordenado bruto já inexistente. Um dia chego de novo aos 600 euros e a continuam a descontar-me dos irreais 920.

      Eliminar
  3. Estou no mesmo barco e a continuar assim vou ter que começar a vender o que construí com tanto sacrifício, já coloquei um apartamento que tenho para alugar mas infelizmente os inquilinos não param lá muito tempo e um dia destes vou ter que pensar seriamente em me desfazer dele, e por este caminho não sei se não chegará a minha casa. sinto-me triste e revoltada também.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como eu entendo Rosinha. A minha preocupação passa também pelo facto de o meu marido também ser funcionário público da mesma instituição que eu e apesar de toda esta baixa nos ordenados ainda se ouvir dizer que a instituição vai passar para a Misericórdia e vai deixar de funcionar. Dou comigo muitas vezes a pensar o que nos vai acontecer! É assustador!

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Como cozinhar couscous.

Receita de detergente caseiro para a máquina da roupa.

Tira borboto - económico e eficiente.