quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Ainda refletindo acerca da crise, e vendo, apesar de todos os estragos que ela tem feito, o que há de melhor nela.

Olá a todas (os)

Há milhentas famílias fragmentadas devido a toda esta conjuntura socioeconómica que vivemos. Há sem dúvida muito mais pessoas (gente como nós) que viviam bem e hoje estão no limiar da pobreza. Daqui não podemos de modo algum tirar muitos pontos positivos, porque os negativos se enovelam uns nos outros. Podemos, sim, tirar algumas lições que podem ser preciosíssimas no futuro. O endividamento, por tudo e por nada, é uma delas. O comprar porque carolice; comprar porque fulano ou sicrano tem; comprar porque é topo de gama, quando o que temos velho funciona na perfeição; comprar porque queremos experimentar como é (coisas caras, que se entenda), tudo isso deve ser avaliado no futuro, lições pois a aprender.
Agora falando dos que apesar desta crise terrível ainda mantêm os empregos e vivem deprimidos. A estes (eu incluo-me neste grupo, dos que têm emprego, não dos deprimidos), aconselho, para que não entrem em depressão a, por cada ponto que vos vai sendo subtraído, tentem adicionar-lhe um ponto positivo. Vou deixar-vos alguns exemplos do que se passa na minha vida:

1 – Custou-me muito ficar sem uma hora por dia para gerir a minha vida pessoal, ficar com menos tempo para as minhas filhas, por exemplo, porém agora arranjei forma do tempo que passo com elas ser de ainda mais qualidade. Na verdade sinto que estamos mais próximas do que sempre, que há mais harmonia e menos birras, de todas as partes.

2 – O ordenado tem baixado a olhos vistos, diminuindo o poder de compra, porém eu comecei a fazer muito mais coisas em casa para não comprar, e descobri em mim capacidades que nem sabia existirem. Ganhei na descoberta de mim, o que me trouxe uma realização enorme, coisa que nunca tinha sentido quando comprava quase tudo.

3 – Com a falta de dinheiro também não podemos viajar tanto, conhecer tanto, mas podemos sempre fazer uns alegres, e diferentes, pic-nics no chão da sala (nos dias de chuva), ou conhecermos o que temos perto de casa e que muitas vezes nem valorizamos.


 
Arrisco a afirmar que atitude positiva e a determinação ao fintar a crise, são as armas que temos, para sair dela mais enriquecidos, e as mais dificéis de nos serem retiradas, na minha modéstia opinião.

Beijos e abraços para todas (os) 



10 comentários:

  1. E é mesmo isto, sempre estive habituada a uma vida humilde e com pouco, e porque acho que sou muito abençoada por tudo o que tenho há quem me ache anormal...mas estou bem assim :P sem dúvida!
    bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando era jovem, ainda verdinha, achava que ter menos era sinal de inferioridade. Com o crescimento e a vida, apercebi-me que haviam pessoas que tinham tantos bens materiais e nem por isso eram mais felizes do que eu. A partir daí consciencilizei-me do que de fato era mesmo mais importante para mim, sem me sentir menos do que ningém! Sou feliz assim, sem dúvida alguma!

      Eliminar
  2. Gostei de ler o teu texto. Com ou sem crise, são bons princípios que devíamos ter e manter!
    Bj

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem dúvida Paula! Infelizmente o consumismo, quando há dinheiro, acaba por prevalecer na vida da maioria das pessoas e os bons princípios e as boas atitudes ficam em segundo plano ou deixam de existir!
      Beijos e um bom fim-de-semana

      Eliminar
  3. Podes crer, com tudo isto reaprendemos a viver com menos e até com mais qualidade. Alguma coisa positiva disto tudo temos de tirar. :)

    ResponderEliminar
  4. Olá Lassalete, vim dar-te as boas vindas ao blog e conhecer-te.
    Andei ontem a passear pelo teu cantinho, e achei-te extremamente otimista e criativa. Quanto ao assunto deste post, não há dúvida que estes anos menos bons, fez com que as pessoas começassem novamente a fazer muita coisa em casa, como era antigamente. E isto é muito salutar!
    Boa sexta feira para si, e conto cá vir visitá-la mais vezes!

    ResponderEliminar
  5. Obrigada Val.
    É sem dúvida muito salutar e seria ótimo que este hábito se mantivesse, por vários motivos, mas sobretudo pelo ambiente e pelo bem estar das pessoas. Criar faz as pessoas mais felizes
    Eu gostei imenso do teu l`avion rose e achei o máximo a história que lhe originou o nome.

    Bom fim-de-semana

    ResponderEliminar
  6. Ola,

    A crise também tem o seu lado positivo, uma vez que muita gente só aprendeu a poupar agora. O que e bom para toda a gente. Para a saúde e para o planeta também. Beijinhos e bom fim de semana.

    Lucy

    ResponderEliminar
  7. É mesmo isso, penso exactamente assim.
    Já me revoltei com tudo isto, já barafustei...mas depois aprendi a ver o lado bom desta situação e encontrar formas de sobreviver e ser feliz.
    Beijinhos

    ResponderEliminar