Esta crise...

Estamos numa real e dolorosa crise económica, como quase todos sentimos na pele. Eu quando falo na crise falo mais da crise que muita gente atravessa  porque para mim a crise não tem sido díficil de contornar visto que tanto eu como o P continuamos com emprego. Não vivo aflita anseando o fim do mês, mas em contrapartida fiz uma mudança radical na minha modesta vida tentando produzir tudo o que me for possível em casa; deixando de ir esporádicamente ao take away ( 3 vezes +- por mês); jantar ou almoçar fora está fora de questão; diminuindo as faturas da luz, água e gás, presenteando as pessoas com prendas feitas por mim, etc, etc
Eu quando digo que não tem sido díficil de contornar, digo, não por ter uma vida fácil, com grandes ordenados, ou casa paga, mas porque já vivi uma crise económica pessoal bem terrível e na altura só tinha uma filha. Digo porque nessa altura  e depois de pagas as contas e dívidas ficava com 90 euros para  o mês todo; digo porque nessa altura não tinha dinheiro nem para colocar solas novas em sapatos velhos; digo porque abria o frigorifico e estava quase vazio (só havia o que era importante para a minha filha); digo porque vivi desesperada e precisei de aceitar a caridade alheia e, para quem nunca passou por isto, isto mexeu imenso com a minha autoestima, levando-me a uma terrível depressão.  Por isso para mim esta crise não está a ser díficil de contornar. É necessário saber cortar naquilo que não faz falta; é preciso não ser preguiçoso, arregaçar as mangas e produzir em casa; é preciso ter ordenados certos, ainda que pequenos, para poder gerir. Penso que para mim, que nunca vivi "bem" como muita gente, é mais fácil contornar porque sempre precisei de olhar o dinheiro com respeito, geri-lo, organizar-me de modo a chegar sempre para tudo, sem viver em constante sufoco. Sim sou uma pessoa remediada mas com muito trabalho que para mim é também prazer. Eu gosto de cozinhar, gosto de produzir, gosto de criar, gosto de inventar, gosto de organizar.
Hoje sou mais feliz do que ontem. Amanhã, não interessa, porque quando chegar será outra vez hoje e logo será o melhor possível de novo.



Comentários

  1. Excelente reflexão. Esta crise não está a ser nada fácil mas como eu costumo dizer: É viver um dia de cada vez!!

    ResponderEliminar
  2. Nem mais! Passar o tempo a lamentar-nos não resolve nada, é preciso que façamos alguma coisa.

    Muito obrigada pelo comentário

    ResponderEliminar
  3. Descobri o seu blog ontem e tenho andado a lê-lo de fio a pavio, e só lhe posso dizer que deve ser uma pessoa especial pelas suas criações, ideias, poupanças, reflexões! Tenho de concordar inteiramente consigo o que é preciso é ter salário certo, mesmo que baixo, porque nos adaptamos à realidade que temos. Já ganhei um salário acima da média e neste momento tenho apenas um part-time, mas nunca deixei de trabalhar. Somos apenas 2 (para já :-)) e com a minha alteração profissional arregacei as mangas e analisei tudo em que podíamos reduzir despesas em casa. Se houver força de vontade há sempre algo a fazer só é preciso ter saúde e ter um salário certo ao fim do mês para gerir. Parabéns pelo seu blog, as suas dicas, e por ser um exemplo claro que quem conquistou novamente a sua autonomia financeira! MJMG

    ResponderEliminar
  4. Muito obrigada pelo comentário. Não sei muito o que dizer quando recebo elogios, fico embasbacada, mas que sabe bem, ai isso sabe!
    Apareça sempre, quanto mais não seja para tirar dicas que lhe sejam úteis, pois o propsósito é também esse, partilhar com os outros o que possa ser útil.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Como cozinhar couscous.

Receita de detergente caseiro para a máquina da roupa.

Tira borboto - económico e eficiente.